QUERO LER

JORNAIS DE MATO GROSSO

pesquisar

 
Segunda-feira, 05 / 09 / 16

Jornais de Mato Grosso

JORNAIS DE MATO GROSSO

 

Leia aqui jornais do estado de Mato Grosso da capital e do interior.

 

 

 

 

cidades do mt

 

BOM DIA: Informe-se
publicado por Quero Ler às 12:53
Domingo, 30 / 08 / 15

O TEMPO BOM CHEGOU

Todo mundo sorrindo

 

Eu cheguei la no ponto de ônibus à tarde depois que eu terminei o meu serviço,eu já estava vindo embora pra casa.Tinha la algumas poucas pessoas também esperando o ônibus,eu cheguei e falei boa tarde!.As pessoas responderam sorrindo boa tarde, eu achei interessante a atitude daquelas pessoas e eu sorri também.

 

Logo veio o ônibus e nós embarcamos todos descontraídos, alguém ainda esboçava algum sorriso.O ônibus andou duas quadras surgiu uma creche, e era hora da criançada também voltar pra casa, então havia muita criança no pátio da creche aguardando os pais, e eu olhando assim vi um bebe de dois anos mais ou menos se desmanchando em gargalhadas.E ele rolava no chão de tão hilariante que estava. As tias também sorrindo despediam os pequenos com aquele carinho de mãe.

 

E nós seguíamos no ônibus e em cada ponto que parava subia mais e mais passageiros e todos com ar de quem estava muito alegre naquela tarde com sentimento de muita gratidão a Deus estampando um sorriso no rosto.La na última poltrona bem no canto esquerdo do ônibus eu notei a presença de uma criatura humana que se destacava por suas contínuas risadas.Ele olhava assim de lado e se desmanchava em gargalhadas daquelas dobradas e redobradas.Eu observei que ele até esboçava algum esforço no sentido de se conter, mas, não conseguia segurar e se explodia em novas e prolongadas gargalhadas.

 

Chegamos ao terminal do CPA 1 aquele rapaz desceu do ônibus eu prossegui para o centro já pensando que tudo teria acabado, ledo engano; entraram duas moças no ônibus acompanhadas de um senhor de boa aparência que parecia ser o pai delas.Elas também estavam bem vestidas, uma portava saia e blusa a outra estava usando um vestido branco muito bonito por sinal.Elas conversavam com aquele homem em estado de euforia, ele também sorrindo como quem estivesse passando por júbilo sem par nem percebiam que pudessem estar sendo notados.

 

Eu já estava até incomodado com aquela situação, eu pensei até em perguntar para alguém o motivo de tantos sorrisos naquele dia, para todo lado que se olhava via gente sorrindo e caindo em gargalhadas.Desci na praça para tomar o ônibus do meu bairro estava acontecendo la um comício.O candidato em cima do palanque com o microfone na mão sem poder falar esperando o povo se conter das risadas que estavam no momento.

 

Ele foi um pouco impaciente neste momento disse assim: senhores e senhoras!..aí que explodiu outra estridente gargalhada que ecoava por todos os cantos da praça.Eu cheguei perto de um moço assim que parecia ser um cabo eleitoral ele estava sorrindo também, eu perguntei para ele qual seria o motivo daquelas algazarras todas ele me disse assim: não sei eu vi o povo sorrindo e comecei a sorrir também.

==================================================================================

O TEMPO BOM CHEGOU

 

Os bons tempos chegaram e o primeiro que saudou as boas novas foi o sabiá. Era o mês de agosto ainda quando se ouviu o sabiá cantando um cântico novo sinalizando que aquela sequidão característica do verão acabou; os dias frios passaram, o calor seco do verão foi embora.

 

Justamente no dia em que o sabiá despertou-se a cantar o seu canto tradicional foi que começou o tempo das águas. A chuva do caju chegou!Veio um vento impetuoso, não exatamente uma tempestade. Algumas árvores tombaram-se ao chão.Em outros lugares destelhou casas,não foi um estrago avassalador.

 

Mas trouxe uma boa notícia:o tempo das chuvas chegou,chuvas de bênção,chuvas de bênção!Até o anu branco que estava esquecido também em bandos já passou cantando. As árvores de ipê já floresceram. A primavera já chegou.Descortina-se um novo amanhecer.Os sapos coaxam la no brejo.

 

O camponês já preparou as terras para o plantio.As flôres do ipê estão bonitas desabrochadas irradiando vida.O tempo bom chegou!Aquele céu bonito cor de anil que só era intercalado com as névoas secas do estio agora é de nublado a nublado prenunciando chuvas.

 

O arco-íris também já foi visto la no céu.É mais uma prova que o tempo das águas já chegou.Em certas ocasiões um halo luminoso circunda o sol e a noite vê-se na lua.O povo antigo já dizia;nova trovejada é trinta dias de terra molhada.A boa mandioquinha é plantada na nova de outubro.

 

Os vaga-lumes já começaram aparecer,as cigarras cantam la no cerrado.As primeiras sementes são lançadas agora.Em dezembro já tem muita novidade no sítio.Muita melancia bonita e suculenta.Milho verde para assar na brasa e comer muita pamonha.

 

A dona de casa sabe preparar um bom coral ao sabor de canela e erva-doce.Os bons tempos já chegaram.Daqui a pouco aparecem as tanajuras.As lâmpadas acesas ficam rodeadas de mariposas.

 

Também tem muriçocas, cuidado!,o camponês usa um cachecol para se livrar dos mosquitos e abelhas lambe-olho.Nas roças ainda é visto o teiú.A saracura canta aos pares la na aguada.A seriema canta ao longe la nos campos.

 

O jaó,a perdiz,o nhambu,o urutau,todos la bem longe.Mas aqui bem pertinho em cima das nossas cabeças canta alegre o sabiá! Quando entra janeiro ele para de cantar,vai cuidar do compromissos que fizera antes,é outro ciclo na sua vida.

 

Mas tem outros pássaros que ainda cantam.As andorinhas aos milhares veraneiam por toda parte.O tiziu nos arrozais faz a festa.Os papagaios no milharal dão prejuízo,é preciso colocar um espantalho para afugentá-los.

 

Na cidade não tem nada disso,é só correria.Até uma penca de bananas tem que ser comprada,é tudo no dinheiro.Na cidade todo tempo é um só,é só tempo de carregar pedras.Mas na roça vem o tempo de colher.Os bons tempos já chegaram!

 

 

publicado por Quero Ler às 11:05
Sábado, 21 / 02 / 15

ASDRÚBAL A CAMINHO DAS ÁGUAS

ASDRÚBAL A CAMINHO DAS ÁGUAS

Esse fato que eu vou narrar aqui deve ter acontecido pouco antes da última glaciação há quarenta mil anos atrás.

Num ano em que deu uma seca prolongada, e então a água potável ficou escassa, as distribuidoras de água mineral ficaram sem estoque e quem tinha poço em casa também já estava sem água apesar de ter aprofundado as cisternas várias vezes.

E, a água dos rios serve como recurso de última hora, mas não é uma água pura e saudável.

 

Era sabido que não muito distante da cidade ainda tinha la na entrada do pantanal uma fonte d’água cristalina que pertencia a união.

Era uma distância longa para ir a pé, mas, para quem quisesse saborear uma água pura e saudável valia à pena se sacrificar.

Então Asdrúbal pôs-se a caminho levando como recipiente dois baldes de quinze litros atrelados num cambão.

 

Alguns minutos de caminho ele avistou na sua frente um homem ancião que também parecia ir em busca do precioso líquido.

Então eu; "disse Asdrúbal"apertei o passo para alcançá-lo, vi que era uma pessoa humilde e simpática e não demonstrava preocupação nenhuma. Dizia Asdrúbal: como é que veio acontecer esta sequidão histórica heim?Ele só respondeu isso: são coisas que acontecem.

 

A trilha era conhecida, Asdrúbal já havia passado por ela algumas vezes antes. Ele porém não sabia que o fazendeiro tinha construído uma cerca de arame farpado que cruzava o caminho impedindo assim a passagem pelo meio da invernada.

 

Nós seguimos ladeando a cerca e para retornar á trilha nós tivemos que passar num cantinho da baía de chacororé e nas águas do pantanal tem piranhas, o ancião me disse: tudo o que você for fazer na vida estando carregado de medo e dúvidas não da certo, desligue-se deste mundo e vamos em frente. A água da lagoa estava límpida e  serena e  dava   pra gente enxergar os cardumes de piranhas e jacarés mas nada disso nos aterrorizou.

 

Do outro lado ainda tinha alguns metros de terreno encharcado que estava infestado de cobras das mais venenosas como jararacas, urutu, cascavel, coral, entre outras, que metiam medo, mas, guardando os conselhos  do amigo passamos também por   mais este obstáculo sãos e salvos.

 

 A trilha atravessava um trecho de cerrado com algumas moitas de lixeiras e outros arbustos entre os quais avistamos a temida onça pintada bem pertinho de nós.

Eu com aqueles baldes nas costas estive a ponto de desistir, mas pensei comigo mesmo:se  eu voltar de onde estou eu vou perder toda a caminhada até aqui e  vou correr  os mesmos perigos que  já  passei sem realizar o meu  intento. O ancião me confortou  dizendo:não vacile, confie somente.

 

Passados estes perigos já estávamos mais próximos do destino, porém quando avistamos as rochas de onde fluíam as desejáveis águas cristalinas ainda enfrentamos mais uma ameaça:

Era uma feia tempestade que se formou repentinamente do lado do levante e parecia vir acabando com tudo.

Relampejava continuadamente, o vento era terrível, formou-se um gigantesco tornado ao nosso lado, começaram cair uns pingos aqui outros ali. Nós caminhávamos seguros de que chegaríamos a tempo de nos livrar daquela tribuzana.

 

O amigo de todas as horas me confortava com suas palavras sábias: todo tempo ruim passa e depois vem à bonança. Segui meditando o quão sábios  são   os homens experimentados.

Um clima extremamente agradável nos envolvia agora, as rochas das águas cristalinas e transparentes estavam a nossa mão. Eu subi numa pedra grande e alta donde olhando para o céu eu via um esplendido arco-íris, a alegria era tal que parecia nunca ter passado tempo ruim.

O ancião eu não o vi mais.                                             

 

 

publicado por Quero Ler às 20:05
Quarta-feira, 10 / 12 / 14

EXPRESSÕES

Expressões imprimíveis
Impressões expressas

 

 a vontade de ser livre
 o desejo de vencer

 a firmeza da fé
 a certeza da vitória
 o sentimento de gratidão
 a disposição de servir
 a prudência no falar
 a prontidão no ouvir
 a aceitação do outro

 o cumprimento do dever

 

 o orgulho da coruja
 a perspicácia da águia
 a humildade da pomba
 a segurança do joão-de-barro
 a fala do papagaio
 o voar do tuiuiú
 o canto do uirapuru
 o verão das andorinhas
 o andar da ema
 o espanto da perdiz

 

 a força do homem
 a beleza da mulher
 a inocência da criança
 o carisma do bebê
 a experiência do ancião
 a saúde do jovem
 as astúcias do menino

 a ternura da menina
 a vaidade do rapaz
 a amizade da moça

 

 o amor de mãe
 a dedicação do filho
 o favor do pai
 a saudade do amigo
 o perdão do ofendido
 a esperança do vencido
 a desforra do traído
 a lealdade do irmão
 o apoio do patrão
 a submissão do servo

 

 as promessas de Deus
 as boas novas de paz
 a harmonia dos evangelhos
 o cumprimento das profecias
 a fidelidade dos crentes
 a incerteza das riquezas
 os milagres de Jesus
 o amor ao próximo
 a abstinência da carne
 os frutos do Espírito

 

 a abundância do diligente
 a pobreza do preguiçoso
 a certeza do prudente
 a correção do negligente
 o conselho do experiente
 a recompensa do obediente
 os prêmios da sobriedade
 a extravagancia da vaidade
 os males da cobiça
 a fama da bondade

 

 

publicado por Quero Ler às 01:16
Quinta-feira, 17 / 10 / 13

γρεκομανια

Γρεκομανια

 

 

Κιντα φειρα δεζεσσετε δε ουτυβρο δε δοισ μιλ ε τρεζε

 

Παρα κεμ γοστα δε λερ εμ καρακτερεσ γρεγοσ ακι βαι εστε πεκενο τραβαληο δεδικαδο αο ατο δε λερ ε εσκρεβερ εμ γρεγο.

Εστα κανεκα φοι δοαδα πελα Κλειβα ακυανδο δα μινηα μυδανσα παρα ο εμποριο κε ευ αβρι να αβενιδα Φιλιντο Μυλλερ νο δια δεζεσσετε δε ξυληο δε δοισ μιλ ε νοβε.

 

Ζε Μαρμελο

 

Ευ κονηεσσο καμαραδα

κε σε βεστε δε αμαρελο

ςυα βιδα ε ενγρασσαδα

σευ νομε ε Ζε μαρμελο

κυε τροκου ο καβο δα ενχαδα

πελο καβο δο μαρτελο

 

Φοι ο υσυκαπιαυμ

κυε τιρου ελε δα ροσσα

κυεμ δευ λυκρο προ πατραυμ

ηοξε μορα νυμα κηοσσα

ςεμ δινηειρο ε ςεμ κυινηαυμ

ο κοιταδο τα να φοσσα

 

λα πρα ροσσα ελε ναυμ βολτα

ποισ ναυμ τεμ φινανσιαμεντο

να πολιτικα ναυμ ινγρεσσα

ποισ ναυμ τεμ κονηεκιμεντο

βαι βενδερ παστελ να πρασσα

ναυμ γανηα νεμ δεζ πορ κεντο

 

κερτα βεζ ο ζε Μαρμελο

αβριυ υμα μερκεαρια

πρα βενδερ δε κερεαισ

α μιυδεζα ε μελανσια

μασ βειο ο ςυπερμερκαδο

ε ρουβου ληε α φρεγυεζια

 

νο ταλ δε πριμειρο μυνδο

κυε τεμ τεκνολογια

ναυμ εχιστε μιζεραβελ

α ιμπρενσα ανυνκια

μασ ναυμ ε πε δε κηινελο

κυε τεμ εσσα ρεγαλια

 

λα ο ποβο ε ενσιναδο

ε πρεπαραδο προ βατεντε

ασ βεζεσ ςοβ α νεβε

ασ βεζεσ νο τεμπο κυεντε

ε αινδα τεμ οσ ατενταδοσ

κυανδο ςυργεμ δε ρεπεντε

 

αγορα ςυργιυ υμα μοδα νοβα

α ταλ δε γλοβαλιζασσαυμ

κομεσσου ναυμ σε σαβε αονδε

φοι ταλβεζ λα νο ξαπαυμ

σε ο ποβο ναυμ σε κυιδαρ

βαι βιραρ εσκραβιδαυμ

 

ινβενταραμ ταντα λει

κυε ε ςο βαρβαριδαδε

τεμ ο ισο νοβε μιλ

κοντρολε δε κυαλιδαδε

κυε εχιγε ρενδιμεντο 

ε ναυμ ποδε σερ δε ιδαδε

 

α ςορτε δο Ζε Μαρμελο

ρεφλετε α δε μυιτα γεντε

κυε υμα βεζ δειχανδο α ροσσα

νυμ πασσαδο μαισ ρεκεντε

βυσκα να κιδαδε γρανδε

υμα βιδα μαισ δεκεντε

 

κυεμ τιβερ πενα δο Ζε 

φασσα υμα ρογασσαυμ

αοσ ποδερεσ κονστιτυιδοσ

υμ μομεντο δε ατενσαυμ

κυε αο μενοσ αξθδε ο Ζε 

α βολταρ λα προ ςερταυμ

 

 

βιογραφια δο φιαδο

 

Νασκιδο δε φαμιλια ποβρε ο φιαδο εχιστε δεσδε α αντιγυιδαδε.

Πρεσεντε εμ τοδασ ασ κιβιλιζασσωεσ ε` κονηεκιδο νο μυνδο ιντειρο ε τραδυζιδο παρα τοδασ ασ λινγυασ.

Μορα κομ ο δεσεμπρεγαδο,ακομπανηα οσ νεκεσσιταδοσ ε εστιμθλα οσ αμβικιοσοσ.

Ταντο κυε πορ ισσο ξα τεμ λεβαδο μυιτοσ α φαλενκια.

Μεσμο ασσιμ ελε εστα πορ αι, ονδε ςε αβρε υμ κομερκιο νοβο λα εστα ελε φαζενδο νοβοσ αδπτοσ.

Απεσαρ δε ακυσαδο πορ τοδοσ α πολικια ναυμ ο πρενδε νεμ ο ξυιζ ο κονδενα.

 

 

 

Βιοτικα

καντικο ι

 

Α βιοτικα νος τραζ οκυπασαυμ,Φελισιδαδε

Σολισσιτθδε, αρρεπενδιμεντο ε Σολεδαδε.

Μερσεδες α κυεμ ας βοας οβρας Κυστοδια φαζ

Αο Εχπεδιτο μενσαγειρο δα Γρασσα Παζ.

Α Επιφανια δο Χριστο βελεζα ςεμ ιγυαλ να ηιστορια

Εβιδενσια δος φιεις γαλαρδαυμ ετερνο να Γλορια.

Α αλμα ηυμιλδε α βενσαυμ δο Διβινο εσπερα

Δο Αμαδο Τεο κονφια ανελαντε α παλαβρα Βερα.

Να Αυρορα δα βιδα ο Αδελφο δο τεμορ ςε βεστε

Κανδιδο εσπερα α προμεσσα δο παι Σελεστε.

 

καντικο ιι

 

Αρμανδο τενδας νο ερμο ο ηομεμ Πρυδεντε

Μιρα αο αλτο ο Εχσελσο ε Βενιγνο παι Κλεμεντε.

Ανδανδο ςολισσιτο εμ ςενδας δε ρεγιαυμ Σιλβεστρε

Ο ηομεμ τιβιο βυσκα ο Λυσσιο ρεφυγιο δο μεστρε.

Νος Καμπος ςομβριος μυιτο αλεμ δο ηοριζοντε

Α αλμα Γεντιλ ρεκλαμα α Κρισταλινα αγυα δα Φοντε.

Αο Ηελιο κυε ιλυμινα Φελιχ α εσπανσαυμ,Ελευτεριο

Λαμυριαντε Μιρα ο ηομεμ ε χορα ο ςευ Δεσιδεριο.

Ο Μαγνο Ρεγιο παι δε τοδα Βονδαδε ε Κονσολασσαυμ

Πεσανδο-ο εμ βαλανσας ουτοργα-ληε Φελιζ Κονσεισσαυμ.

 

 

καντικο ιιι

 

Ο Γενεσιο ικονε δε Δευς Απαρεσσιδο αο μυνδο ςε φεζ

Νο αβισμο δα εσκυριδαυμ ςεμ ρυμο ανδανδο Βαλδεζ.

Α βοζ βραδου νο ξαρδιμ κυξο εσπλενδορ ςεμεληανσα Λυζια

Βοανδο νας ασας δο βεντο ρομπενδο πυξαντε Μαρια.

Ασπαζια αο Βιδαλ νο Εδεν τραζ ο Ρει κομ γρανδε Λετισσια

Ο Μακαριο ρεσσεβε ανιμαδα ακυελα δοσσε ε ςυαβε νοτισσια.

Υμα Αυχιλιαδορα φοι δαδα αο Φαυστο ηομεμ δο Ξαρδιμ,

Κομια δος ςευς αρβορεδος ε φοι-ληε ταμβεν Κυερυβιμ.

Σιμπλισσιο κομο Πομβο βιβια φολγανδο Βιταλ, Βαλεριο

Ο Αγαπιτο δορμια ςεγυρο Πομπευ ρομαντικο, Αυρελιο.

 

 

Ser ou naum ser otimista

 

Ha pessoas que saum taum pessimistas que so pensam e falam negativamente. Baseado em conhecimentos acumulados ao longo do tempo de fatos acontecidos somados a casos narrados por pessas pessimista eu resolvi pvr para fora minha reassaum em forma de protesto. Entaum me sentei frente ao computador e pus-me a escrever por meio do teclado e saiu esse episodio.

Era um homem ja de idade que moraba sozinho numa casinha de duas pessas em fundo de lote. Ele mesmo preparaba sua comida, ele mesmo lababa suas roupas, bisitas ele quase naum recebia. Mulher ele naum tinha, filhos naum se sabe. kuando kueria ele daba uma saidinha ate ao centro da cidade, pois naum pagaba passagens e era aposentado. E no mais das bezes era da casa pra igreja e da igreja pra casa.

 

La um dia seus bizinhos sentiram falta dele, porem ja habia passado muitos dias kue ele fora bisto pela ultima bez. Entaum seus bizinhos mais prvssimos tomaram a iniciatiba de ir berificar o acontecido e o boato correu pela bizinhansa toda deixando todo mundo em polborosa pondo para fora as opinives das mais esdruxulas, alguem disse assim: eu bia a casa fechada esse tempo todo eu pensava kue ele habia sido internado em algum hospital.

Por ser um anciaum kue habitaba sozinho reuniram entaum um bom numero de pessoas para testemunhar o fato. Ao chegarem bem perto da casa um sentimento de cautela beio sobre todos ao perceberem um forte odor como kue de algum corpo animal em adiantado estado de decomposissaum, e assim intuitivamente todos se recuaram e ficaram a certa distancia apreensibos sem saber tomar uma atitude diante da situassaum. Entaum alguem resmungou: seria melhor abisar as autoridades, pois nvs naum temos autorizassaum para arrombar a porta e adentrar a casa!

Com a chegada da policia cibil tudo poderia deixar de ser misterio, porem uma surpresa: nada foi encontrado dentro da casa senaum um rato morto na ratoeira kue estaba ao pe da parede e todos foram intimados a colaborar nas investigassves.

Na cidade bizinha saiu uma noticia no jornal de uma ossada humana encontrada no meio de um matagal perto do rio, mas as caracteristicas naum coincidiam.

Mas mesmo assim um exame de ADN

“Acido DesoxorroboNucleico” foi feito a fim de desbincular os casos e nada ate ai foi esclarecido.

Muitos contabam casos semelhantes, mas kuase ninguem falaba sobre a pessoa dele e muito menos se falabam coisas boas. Dias depois foi descoberto um parente dele kue moraba na cidade, mas ainda naum sabia do fato acontecido, mas trankuilizou a populassaum com informassves mais precisas sobre seu parente. Ao entrar em contato com os parentes kue morabam no sitio eles lhe disseram kue ele estebe com eles nakueles utimos dez dias, mas habia saido dali ja fazia tres dias dizendo kue iria passar uma semana na fazenda jacutinga a trinta quilvmetros dali.

kuando o Paulaum seu parente chegou a fazenda jacutinga biu cair por terra todo um castelo de confusves construido so de pensamentos pessimistas e boatos negatibos ao ber saudabel e sorridente seo Praxedes participando de uma farinhada muito dibertida e comemoratiba na fazenda.

 

 

 

 

publicado por Quero Ler às 16:36
Terça-feira, 21 / 08 / 12

Lino e Leno

A lenda do teimoso

 

Eram dois irmãos gêmeos que viviam teimando o tempo todo e não chegavam a um acordo. Os dois eram gêmeos idênticos. Tinham cabelos

iguais, olhos iguais, hábitos iguais, os dois eram da mesma altura porém a única coisa que eles não tinham em comum era o raciocínio.

 

Eles passavam horas a fio discorrendo e debatendo sobre os assuntos do dia-a-dia sem chegar a um denominador comum. O pai deles querendo ver os dois em paz propôs-lhes uma tarefa: vocês têm que se desencantar da teimosia para viver em paz, façam isso; um de vocês dois vai até ao levante e pegue o sol com a mão, o outro vai até ao poente e pegue o sol com a mão. No dia seguinte eles lançaram sorte e então Lino viajou para o oriente a fim de pegar o sol com a mão.

 

 

Leno viajou para o ocidente a fim de pegar o sol com a mão. Lino saíu para a banda do meio dia para não caminhar de frente para o sol até chegar em algum lugar de onde se poderia dirigir-se para o leste e então pegar o sol com a mão. Leno saíu para a banda da meia noite para não caminhar de frente para o sol até chegar em algum lugar de onde poderia dirigir-se para o oeste e então pegar o sol com a mão. Lino andou o dia todo até que anoiteceu então ele teve que dormir num determinado sítio para no dia seguinte continuar sua jornada. 

 

Ao romper da aurora ele subiu numa montanha para descobrir um local onde pudesse pegar o sol com a mão. Então ele avistou uma penha que por detraz dela o sol vinha nascendo bonito e resplandecente. Desceu de pressa e caminhou até o local porém quando chegou lá o sol já ía alto demais e não foi desta vez que Lino pegou o sol com a mão. Leno também andou o dia todo até que anoiteceu então ele teve que dormir num determinado sítio para no dia seguinte continuar sua jornada. No dia seguinte ele subiu numa montanha a fim de avistar um local onde pudesse pegar o sol com a mão então ele avistou uma penha que por detraz dela o sol ía se pondo bonito e cintilante.

 

Desceu depressa e caminhou até o local porém quando chegou lá o sol já havia se posto e não foi desta vez que Leno pegou o sol com a mão.Lino então perguntou às pessôas que moravam naquele sítio se estava muito longe o lugar do nascimento do sol, eles disseram-lhe que o local do nascimento do sol estava ainda muito longe e ele teria que caminhar muitos dias até chegar neste lugar. Leno também perguntou às pessôas que moravam naquele sítio se o lugar do por do sol estava muito longe, eles disseram-lhe que o local do por do sol estava ainda muito longe e ele teria que caminhar muitos dias para chegar neste lugar.

 

 

Em fim eles continuaram andando um para o oriente o outro para o ocidente até que os dois se encontraram no meio do mundo sem pegar o sol com a mão. Só assim eles entenderam que a teimosia não tem sentido e para defender a verdade e a razão basta falar duas ou três vezes e deixe que a conciência fale mais alto.

 

 

 

 

 

 

 

publicado por Quero Ler às 02:46
Um espaço na rede mundial de computadores onde podemos ler jornais do estado de mato grosso.

Setembro 2016

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

mais sobre mim

subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro